#4ColonialismoHistória

Escurecendo o chocolate: raça, exotismo e escravidão

por Sarah Moss Alexander Badenoch

O “branqueamento” do chocolate através de misturas com o leite, a infância, famílias e paisagens nacionais não foram capazes de apagar a coloração que ganhou como produto colonial: muito pelo contrário. A disseminação e a transformação do chocolate no hemisfério norte durante o século XIX foram acompanhadas por uma profunda mudança na economia do cultivo do cacau. A medida que o cacau começou a se desenvolver nas colônias tropicais no final do século XIX e começo do século XX, a imagem do chocolate, especialmente na Europa, foi “escurecida” de diversas maneiras.Os especuladores buscavam novos cantos para o plantio do cacau, especialmente devido à turbulência que ocorria na produção do chocolate na America Latina. Através de vias imperiais, o cultivo do cacau se alastrou até colônias europeias no continente Africano e especialmente colônias holandesas na Indonésia. Quase no início da exploração europeia, as plantas começaram a circular no que se tornaria…

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Assine ou para ter acesso a todo o nosso conteúdo.

Cadastre-se