#3MedoUrbanismo

Cidadão Instigado

por Clévio Rabelo

A jornalista Jane Jacobs, na Nova Iorque dos anos 1960, foi pioneira ao defender o bairro, a rua, a calçada como elemento regenerador da vida na urbe modernizada a todo custo pelo capital. Na contramão do momento futebolístico que passou, quando patriotismo e igualdades fictícias aproximam milhões de brasileiros, a experiência urbana brasileira cada vez mais é sinônimo de afastamento, diferença, desigualdade e medo.A urbanista Raquel Rolnik, em entrevista recente a uma revista de grande circulação, disse estarem as cidades brasileiras condenadas ao fracasso: elas sobrevivem dentro de uma ética da cidade-limite.O que seria essa experiência?Com um pouco de cuidado, todos nós podemos listar práticas diárias que nos tiram do sonhado caminho que conduz à cidadania, esta palavra cuja origem fala dos direitos relativos ao cidadão – o ser da cidade ativo e participante dos negócios e das decisões políticas.Porém, no espaço metropolitano, é cada vez mais raro encontrar personagens…

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Assine ou para ter acesso a todo o nosso conteúdo.