#9ObsessãoCulturaSociedade

Warhol, Bündchen e Vacas

por Lígia Teixeira

Por muitos anos, o ato de possuir objetos foi considerado símbolo de manifestação de poder. O colecionismo sempre foi ligado à ideia de posse. Com o passar do tempo, tomou uma outra proporção e se transformou em uma atitude materialista, e ultrapassou sua função anterior. Hoje, ele não é mais associação ao poder, e sim, ao prazer.  Vindo de uma família de artistas, Luiz Henrique Campos, 45, é programador visual, e coleciona, há mais de 20 anos, diferentes tipos de objetos. Sob forte influência de sua família, que fazia parte do teatro e da televisão brasileira, Luiz começou a colecionar tudo o que se relacionava a esse universo, cartazes, programas e fotos que hoje somam mais de 150 objetos. Luiz mora com a mãe – que o influenciou, guardando suas roupas e objetos de criança – em um apartamento extremamente organizado, onde começou a armazenar todas as suas coleções, em…

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Assine ou para ter acesso a todo o nosso conteúdo.

Cadastre-se