#3MedoArteFotografiaModa

EPM

por Revista Amarello

por Ana Fay Mulher nua, casa, cavaloO vento de passar suave em lentidão de coisa que leva pelo ar, abre janelas e entra e rodopia e se desfaz e dobra e desdobra-se e vai e venta e se sobra em curvas, esquinas, paredes e cortinas, a impregnar a casa de um tempo que já não é; com sua boca invisível de deus sopra para dentro de retratos mudos e escuros, estórias de mundos submersos e brisas de vida antiga. No chão, o frasco que continha o melhor perfume dorme quebrado e seco, derrubado por vento outro que há muito passou: casa de hálito velho, que meus pés nus e frescos respiram das frestas de pequeninas pedras, grande mosaico de fendas profundas.Levanto na poeira que voa, a memória da casa; a cada passo, cortes que se desenham em minha pele de pé rasgam traços de um passado que eu não reconheço,…

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Assine ou para ter acesso a todo o nosso conteúdo.