#4ColonialismoCulturaSociedade

ZHǓNBÈI XIÀNG ZHŌNGFĀNG SHĒNGHUÓ FĀNGSHÌ

por Antonio Biagi

CTRL + C | CTRL + V | CTRL + X de Lucas Simões Desde a Grécia Antiga, com mais ou menos relevância, as potências econômicas se estabeleceram também como potências culturais, exportando sua cultura como forma de dominação. Assim foi com o Império Romano, o renascimento Fiorentino, as navegações Holandesas e Espanholas, a Revolução Industrial Inglesa e, desde a primeira Guerra, as varias evoluções lideradas pelos Estados Unidos.A influência norte-americana, com origem no poder econômico, bélico e diplomático, foi potencializada ao expoente pela venda de um irresistível way of life: belos carros, comidas rápidas e stars packaged pela mais (mais) excitante música, cinema e moda.Até aí tudo tranquilo.Desde 2001, e de maneira mais acentuada, desde o Credit Crunch em 2008, os Estados Unidos vivem uma séria apatia econômica e cultural. Ao mesmo tempo em que problemas econômicos estruturais (por exemplo a maior dívida pública do mundo) se agravam, a…

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Assine ou para ter acesso a todo o nosso conteúdo.

Cadastre-se