#12LiberdadeArtigo

Quando deixei de te amar

por Helena Cunha di Ciero

Quando finalmente deixei de te amar, podia sair à vontade na rua, sem o medo de te encontrar. Caminhava tranquila, sem temer ser pega de surpresa. Os carros não eram mais iguais ao seu.Eu já não era mais prisioneira de tudo que me lembrava você. As músicas não eram mais marcas da nossa história, ou me davam recados malucos do destino. Simplesmente tocavam, enchendo meu dia com uma nova melodia. Já não me atingiam como flechas em forma de notas musicais. Tocavam – sem me tocar – como era boa essa sensação de ter finalmente mudado de estação.Meu telefone voltou a ser só um aparelho e não mais o portador das notícias do dia. Antes, se você ligasse até o sol me aquecia diferente. E se não ligava, nem a beleza das flores me afetava. Nada que não fosse você me interessava.Agora, já não tinha medo do meu coração paralisar…

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Assine ou para ter acesso a todo o nosso conteúdo.