#15TempoArteArtes VisuaisPortfólio: Ricardo Alcaide por Becky Beasley No prefácio do catálogo de sua exposição de 1964, Arquitetura sem Arquitetos (Uma Breve Introdução à arquitetura Sem Pedigree), que ocorreu no Museu de Arte Moderna em Nova York, Bernard Rudofsky escreveu que, na época, tratava-se de um tema “tão pouco explorado que ainda não tem um nome.” Para Rudofsky, um pioneiro nos estudos de arquitetura vernacular nos anos 1960, a história da arquitetura ocidental não passava de um “catálogo de arquitetos famosos por celebrar o dinheiro e o poder”, cujo conjunto de obras limitaria as possibilidades para referências arquitetônicas futuras. Acreditava ser fundamental explorar outras histórias arquitetônicas pelo mundo. Nas cinco décadas conseguintes, muito foi feito, notavelmente por Paul Oliver em sua obra-prima Dwellings (1987). Porém, para mim, a obra magra e ilustrada de Rudosfky permanece essencial e inspiradora. Rudofsky reconhece a estranheza de sua frase, “arquitetura sem pedigree”, e oferece algumas…

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Assine ou para ter acesso a todo o nosso conteúdo.

Cadastre-se