#23EducaçãoArteCidadesFotografia

A magia da multiplicação

por Marina Klink

No verão de 2005, como de costume, estava com minhas três filhas na praia de Jurumirim, em Paraty. Eram 8h45 quando avistamos o Paratii2 adentrando a pequena baía de nossa casa. A bordo dele, estavam Amyr e sua tripulação. Chegavam, então, de mais uma volta ao mundo com apenas uma escala, desta vez na península Antártica. As meninas eram ainda muito pequenas e estavam eufóricas por rever o pai após seis meses no mar. Era difícil explicar para elas onde ele estivera por todo aquele tempo. Naquela época, tinham entre cinco e sete anos. Pensei que seria mais fácil ir até lá e mostrar aquilo tudo para elas, para que vissem com os próprios olhos onde era aquele lugar tão distante para onde o pai delas sempre retornava, e quem sabe assim conseguissem absorver experimentando. Foi quando tive a ideia de irmos todos juntos numa próxima vez, e pela primeira…

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Assine ou para ter acesso a todo o nosso conteúdo.