#18RomanceCulturaLiteratura

Um pouco de valentia

por Bárbara Mastrobuono

Uma noite, no início da década de 1940, um pai passava em frente à porta aberta do quarto da filha quando ouviu-a dando gargalhadas. Colocando a cabeça para dentro do quarto, viu que ela lia um livro sobre uma babá mágica que levava as crianças para viverem aventuras fantásticas. Esse pai era Walt Disney, e foi assim, por meio de sua filha Diane, que conheceu Mary Poppins.A relação entre Walt Disney e a personagem teve muitos altos e bai-xos, graças a uma figura que, até pouco tempo, permaneceu às margens do conhecimento popular: P. L. Travers, sua autora. Embora no filme “Mary Poppins” sua existência seja revelada apenas por um crédito discreto, ela é figura central do recente Walt Disney nos bastidores de “Mary Poppins”, filme que conta a versão “disneyficada” da venda dos direitos do livro.Os estúdios Disney representam o ideal de família perfeita. Seus filmes pregam uma infância…

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Assine ou para ter acesso a todo o nosso conteúdo.