#5TranseCrônica

O Lobisomem

por Léo Coutinho

de Fábio Gurjão São muitos e diversos os caminhos que levam ao transe. Álcool, drogas, sexo, religião, música, esportes, jogo, dinheiro, poder. E mesmo o menino que gira o próprio corpo feito um peão até mudar a frequência cerebral busca o transe.Cada um na sua, pouca gente escapa. Talvez seja vital ao ser humano a alteração do estado de consciência. Há um grupo, porém, que, em vez de buscar o transe, tenta, como pode, fugir dele. São os lobisomens, como bem retratou a cultura popular.Estes, quando em estado normal, sentem como se carregassem uma maldição. Detestam acordar no dia seguinte sem saber onde estão, por onde andaram, o que aquele outro eu fez de seus corpos, quais desvios foram capazes de cometer enquanto sob transe, e imaginam grosserias, barbaridades, atrocidades, condenando assim aquela personalidade, que vive neles mas é incontrolável, e sem nunca ponderar que, para o lobisomem, tudo aquilo…

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Assine ou para ter acesso a todo o nosso conteúdo.